Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto

0 Flares Facebook 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Tive o prazer e a honra de poder entrevistar o Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto .

Premiado internacionalmente por 11 vezes (5 para Best Wedding Concept) sendo actualmente o mais premiado internacionalmente Wedding Planner Português.
Reconhecimento que levou a que seja desde Agosto membro Platinum, o maior grau de membro, da Comunidade Belief Wedding Planners.

Membro do National Wedding Council em Nova Iorque, uma organização de certificação Internacional de profissionais do sector dos casamentos, sendo o único profissional português alguma vez a estar ligado a uma entidade internacional de certificação na área dos casamentos.

Desde 2017 é Embaixador em Portugal do projecto internacional de casamentos de solidariedade Two + Us da comunidade Belief IWP (www.twoplususproject.com)

Durante os últimos anos, lançou vários projectos e serviços inovadores de casamentos em Portugal, como PopUp Weddings, Tejo Weddings. Trendy Wedding Planners by Rui Mota Pinto, Wedding Advise e Legal Wedding Advise e, mais recentemente com a criação da primeira organização de certificação de profissionais de casamento em Portugal a PWA – Portuguese Wedding Ambassadors, cujo lançamento está para muito breve.

Se estão noivos e ainda não contrataram Wedding Planner, não podem deixar de conhecer este profissional de topo que vos poderá garantir um dia de sonho.

“No final um Um Casamento é um Passado. Um Presente e um Futuro e como um escritor o meu trabalho é contar aquela História de Amor que acontece durante o tempo até o dia do casamento”.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Lucho Vargas Fotografia

Nome: Rui Mota Pinto

Profissão: Wedding Tailor & Planner

Ano de Início de Atividade:

1993 na organização de eventos corporate, publicidade e organização de casamentos

1999 como wedding planner certificado internacionalmente

1. Como se tornou wedding planner?

R: Comecei a minha carreira muito novo iniciando uma empresa de publicidade e eventos. Na época mais voltada para eventos corporativos. Fiz o primeiro casamento com organização integral para um casal meu amigo que me pediu para organizar o casamento e não hesitei em aceitar o desafio.
Naquele dia, percebi que era onde deveria estar. Casamentos era o que tinha que fazer. Que a minha paixão era a organização de casamentos e que essa seria a forma de expressar a minha criatividade.
Houve um “click”, algo dentro de mim que, como magia, “selou” o meu futuro e o meu caminho.
Com o tempo percebi que não bastava ser um profissional que organizava casamentos. A paixão que tive por esta área e que ainda hoje me define, levou-me a arriscar e ir mais além e a querer algo mais que não existia em Portugal. Formei-me em Wedding Planner internacionalmente em Nova Iorque, cresci como profissional, aprendi com aqueles que considero os melhores nesta área. Posteriormente, iniciei em Portugal o meu projecto Wedding Planner Rui Mota Pinto exclusivamente dedicado à conceptualização, planeamento e organização de casamentos,
com uma visão muito “americana” desta função e como queria desenvolvê-la. Algo muito dedicado à concepção integral de um casamento. Desde o primeiro momento.
Numa altura em que em Portugal esta era uma função totalmente desconhecida e que obrigou a um enorme esforço para que o mercado compreendesse efectivamente o que eu fazia.
Hoje, 25 anos depois de iniciar a minha carreira, sou o que defino como um verdadeiro e puro Wedding Planner.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Lucho Vargas Fotografia

2. Quais os principais desafios que encontrou até hoje?
R: Como será de imaginar, ao longo de mais de 20 anos de carreira os desafios que se encontram são variados e a carreira é feita de sucessivas barreiras que se colocam, quer seja pelo mercado, quer seja por outros profissionais, quer seja por nós próprios.
Mas talvez os maiores desafios se prendam, efectivamente, com a forma como o mercado ainda hoje olha para os wedding planners, e a forma como ao longo do tempo tem visto nascer serviços que nada tem a ver com Wedding Planners especializados e que acabam por inundar o mercado com uma falsa visão da profissão.
Infelizmente, ainda hoje acredito que o mercado Português não está totalmente preparado para perceber o que é verdadeiramente um/uma Wedding Planner e a diferença que existe entre este profissional e uma empresa de organização de casamentos.
Ainda hoje, estranhamente, diversos blogs, revistas e demais media fala em Wedding Planners referindo se “… a/as wedding planner….” assumindo ser uma profissão só de mulheres. Nada mais errado. Uma pequena “viagem” pelos nomes mais conhecidos em todo o mundo para vermos que não é uma profissão exclusiva de mulheres. Uma noção que, erradamente, o nosso mercado assumiu. Ao longo de muitos anos fui o único homem em Portugal a desenvolver esta profissão. Estranhamente, fui também o primeiro wedding planner no país. Felizmente, hoje já existem mais alguns colegas mas parece que os próprios players do mercado continuam ligados à ideia de ser uma profissão de mulheres. Tal como todas as profissões é global e pode ser feita por qualquer pessoa, independentemente do seu sexo. A qualidade do serviço, a dedicação que se coloca e a paixão que cada um de nós sente pelo que faz nada tem a ver com o sexo, mas sim com aquilo que somos como profissionais e como pessoas.
Talvez esta entrevista sirva também para “desbloquear” essa ideia.
Especialmente tendo em conta que em Portugal o wedding planner mais antigo, mais certificado e mais premiado internacionalmente é, efectivamente, um homem, talvez seja, de facto, hora de “desmistificar” esta ideia.
Outro desafio que constantemente se depara para alguns profissionais é a tentativa de explicarmos que Wedding Planner é uma pessoa, não um serviço ou uma empresa. Temos inclusivé empresas que, na sua descrição, indicam “A (nome da empresa) é uma wedding planner”. Uma empresa não pode ser uma Wedding Planner. Uma empresa presta um serviço de planeamento de casamentos. Mas um/a wedding planner é um/a profissional. Uma pessoa. Que estudou para ser wedding planner, que tem uma certificação que lhe dá esse conhecimento e essa denominação. Uma certificação que lhe dá um seguro ou um garantia da entidade certificadora. Sem isso não se é wedding planner. Pode ser-se organizador de casamentos, mas não wedding planner. Isto seria importante o nosso mercado assumir para que os noivos percebessem que existem, de facto, muito poucos Wedding planners ainda em
Portugal, e qual o grau efectivo de experiência e especialização das pessoas que contratam. Tal como fazem com qualquer outro serviço
Não basta fazer-se casamentos, caso contrário, como todos tiramos fotos com os nossos telemóveis hoje em dia, todos seriamos fotógrafos. Veja-se o ridículo.
Infelizmente, o nosso mercado, tal como outros no mundo, assiste ao nascer de pretensos wedding planners a toda a hora, sem qualquer conhecimento, sem qualquer formação ou especialização e que aos poucos vão prejudicando o mercado e essencialmente os casais, oferecendo serviços de má ou baixa qualidade e sem qualquer noção do que a profissão verdadeiramente é, exige e deve corresponder para o casal.
Mas, mais do que tudo, o caminho tem de ser de acções e de cada um de nós poder contribuir de forma activa para essa mudança.
Mais do que a crítica, que eu próprio assumo, é preciso tentar chamar esses players e mudar mentalidades, iniciar formações, e oferecer ao mercado uma vontade e uma janela de mudança.

Penso que esta é, de facto, uma altura de mudança de mentalidades e quero também que estas oportunidades que temos em espaços como o blog “O Teu Casamento de Sonho” sejam também para criarmos esta ponte para que essas pessoas inexperientes, sem formação e sem qualificação possam entender que existem oportunidades para terem mentores, formações e que a porta está aberta para que evoluam e cresçam. Saibam elas aproveitar e saibam elas ter a honestidade de assumir que não estão ainda preparadas/os para este desafio de serem wedding planners. Esta é de facto, uma oportunidade que temos de agarrar, dado que o mercado aos poucos está a unir-se num objectivo comum de crescimento sustentado.
Algo que está já a ser trabalhado e que espero em 2019 ser um verdadeiro contributo para essa evolução.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Nuno Palha

3. A figura de wedding planner é algo muito vulgar em países como EUA e Canadá, em Portugal é uma profissão mais recente. Ao longo dos últimos anos, o número de contratações aumentou? Qual o perfil dos casais que mais procuram este serviço?
R: Importa entender que aceito um número limitado de casamentos por ano, para que possa verdadeiramente estar disponível e prestar um serviço de elevada qualidade e exclusividade aos meus casais. Nesse sentido, o número de contratações no meu caso mantém-se idêntico ao longo dos anos.
Mas, de facto, com o “boom” turístico a que assistimos nos últimos tempos tem-se notado um crescimento do número de casamentos em Portugal, especialmente de casais estrangeiros a virem casar no nosso país.
O perfil dos “meus” noivos são, essencialmente, casais que querem, efectivamente, algo único, algo diferente, algo exclusivo, personalizado e conceptualizado somente para eles. Algo irrepetível. Algo que não se encontra no Instagram ou no Pinterest.
Procuram um serviço de excelência, com “uma cara”, com um profissional com o qual sabem que podem contar sempre. Procuram de facto “o seu” wedding planner. Querem “aquela pessoa” especificamente e não só um serviço de planeamento.
São casais com uma mente aberta a novas ideias, a ideias por vezes fora da caixa. Sabem o que querem mas têm a capacidade de dar liberdade criativa para que tenham algo único, algo com identidade própria e que só será criado para eles.
Mais do que tudo, são casais que tem histórias de amor muito fortes, emotivas e apaixonantes e que a querem contar de uma forma especial, única e com um toque mais “artístico” se lhe quisermos chamar assim.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by LucasLima Fotografia

4. Quais as suas inspirações nas áreas criativas (convites, decoração, etc) que
a organização do casamento permite?
R: Quando falamos de casamentos conceptuais, as inspirações divergem muito em função desses mesmos conceitos.
Não podemos estar presos a nada específico, ou a “trends” de mercado. Como em tudo essas referências são importantes, mas a imaginação e a necessidade que tenho de aceitar tudo como possível ou válido como inspiração é o mais importante.
Tudo acaba por ser inspiração – as cores, os cheiros, as cidades que conheço, os espectáculos a que assisto, os filmes, as séries, as roupas que vejo na rua, os padrões do que me rodeia, a cultura, a gastronomia, a tradição e as próprias pessoas com quem me cruzo no dia à dia são a minha inspiração diária. E acredito que um casamento permite tudo. Todo o tipo de inspiração.
Não direi para todos os casamentos, mas quando falamos em conceptualidade é exactamente disso que falamos – de algo diferente, único, que foge ao “padrão” normal de um casamento e às suas estéticas repetidas e formas feitas uma e outra vez.
Um casamento conceptual é isso mesmo – criado sobre bases próprias, com inspiração própria e onde a mente do criador está muito presente.
Não escondo que existem algumas bases de inspiração que me ajudam mais ou que estão mais presentes – As cidades de Lisboa e Nova Iorque, o Rio Tejo e a Ponte, Cirque du Soleil e a música são elementos muito importantes no meu processo criativo.

Mesmo quando crio apoio-me nestas bases. Crio sempre com música, todos os meus casamentos tem uma playlist inspiracional que uso e oiço sempre que me dedico a criar para esse casamento. Passo muito tempo junto ao Rio Tejo em reuniões, em processos criativos e o meu ano tem de começar assistindo a um espectáculo de Cirque du Soleil. São quase como que “regras criativas” para que a minha criatividade possa fluir.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Lucho Vargas Fotografia

5. Como surgiu a sua preferência pelos casamentos conceptuais?
R: Sempre acreditei que somos seres individuais e todos diferentes. A nossa concepção de vida, a nossa forma de estar e olhar para o mundo é diferente de pessoa para pessoa.
Da mesma forma que nos apaixonamos todos de maneira diferente, e a forma como vivemos o
amor difere de pessoa para pessoa e de casal para casal.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Pedro Bento Photography

Quando comecei, uma das coisas que sempre me questionava era o porquê de os casamentos serem muito parecidos. Muda-se o local, muda-se a decoração, mas o resto mantinha-se igual. Os formatos, as concepções. Tudo sem qualquer grau de criatividade, sem elementos novos, sem“moods” distintos ou sem vivências únicas.
Com o tempo comecei aos poucos, e caminhando sempre baseado na experiência que ia adquirindo, a introduzir factores que estivessem ligados directamente com a história do casal. Com o tempo, esta forma mais singular de criar um dia foi crescendo e dei comigo a pensar que faria sentido criar algo único, algo verdadeiramente conceptualizado para cada história e cada casal.
Algo que, mantendo a lógica e os princípios tradicionais de um casamento, pudesse depois ser algo que os convidados associassem ao casal e à sua história. Algo que fosse, de facto, exclusivo e que não fosse tirado da internet ou de uma foto ou copiado da semana anterior.
Os casamentos conceptuais nascem dessa vontade, dessa forma como olho para o amor, a paixão e as histórias de cada casal e aquilo que acredito que um casamento é.
Juntei depois a minha própria identidade, a forma como eu próprio vejo a história do casal e,
com o princípio maior de que a concepção de um casamento deve basear-se no princípio de que é “Um passado, um presente e um futuro”, comecei a contar todas essas histórias de amor através do casamento.
Mais do que tudo, um Casamento Conceptual assenta no princípio inverso do que normalmente se faz por cá.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Live Wedding at Showeddings – Foto by Lucho Vargas Fotografia

Ao conceptualizar-se o dia do casamento, esse mesmo casamento é o veículo não o fim. O
“veículo” através do qual se conta uma história de amor. Entrega-se mais do que um casamento – entrega-se uma história, uma vivência, uma emotividade única que só é possível naquele preciso dia, naquele preciso momento com aquelas precisas pessoas e daquela precisa forma.
Daí ser necessário abstrair-me sempre do que “supostamente” se diz ser certo ou errado ou do que é expectável.

Um casamento conceptual é, mais do que tudo, algo inesperado. Algo que foge aos parâmetros comuns e que é uma visão única do criador sobre a história do casal.
Mais do que tudo crio casamentos, conto histórias de amor. Como se fosse um livro.
Daí todos os meus casamentos terem um título. Que representa o Conceito, que representa a história de amor, que representa a minha visão da forma como aquelas 2 pessoas se apaixonaram e vivem a sua história. Um título que representa o que é, de facto, a concepção do casamento.
E é isso mesmo que faz a diferença entre um Casamento Conceptual e um casamento temático.
Porque o Conceito não existe ainda em lado nenhum antes de ser criado. E não seria recriado para mais ninguém.

Não existe conceptualidade se não for permitida ao criador a introdução da sua própria identidade nesse conceito. Porque é um processo maioritariamente, para não dizer exclusivamente, criativo.

Não se trata de um tema de casamento.

Trata-se de algo efectivamente único e isso é algo que só se encontra num círculo muito restrito de wedding planners ou criadores de casamentos.

Daí ser tão especial.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Nuno Palha

6. Quais os benefícios de contratar um/a wedding planner?
Pensar em todas as mais valias que um Wedding Planner traz ao planeamento de um casamento levar-nos-ia a uma resposta imensamente longa.
Tento resumir de forma mais directa alguns dos factores que acredito fazerem toda a diferença para o casal e a algumas das mais valias muito importantes que um verdadeiro profissional traz para um casamento de sonho.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Nuno Palha

Exclusividade e identidade
Mais do que uma festa o casamento é a celebração de uma história de amor. Contar essa história desfocada da realidade do casal não faz qualquer sentido. Um/a verdadeiro Wedding
Planner terá sempre a preocupação de criar tudo em função do casal e da sua história. A identidade de cada casal estará sempre presente pois será uma pessoa que assumirá o processo criativo e organizacional, coordenando em sintonia todos os detalhes com os fornecedores. Esta identidade permitirá que o casal possa viver um dia de sonho.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto

Criatividade
Poder ter alguém a criar de forma mais desligada do factor íntimo e emocional que o casal entre si gera no dia, é uma mais valia enorme. A capacidade de gerar momentos, moods, vivências que um/a Wedding Planner tem no dia não tem preço. E, quanto maior a experiência desse profissional, maior será a sua capacidade de superar as expectativas, de gerar momentos não expectáveis, de criar moods e estéticas únicas e conseguir de uma forma criativa criar um casamento de sonho e inesquecível.
Mais do que tudo não limitar o casamento ao que se reproduz na internet, mas gerar dimensões criativas que só poderiam vir da cabeça daquele profissional específico, o que cria de facto momentos únicos e exclusivos que seriam impossíveis sem a presença desse profissional.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Nuno Palha

Gestão de Budget
Muitos casais acabam por ultrapassar o budget estipulado para o evento porque não tem certeza de como um custo especial se encaixa na totalidade do casamento. Muitas vezes são seduzidos por serviços desnecessários. Um/a bom Wedding Planner vai ajudar o casal a determinar o que é necessário e possível com o seu orçamento estipulado inicialmente. Este profissional vai criar opções e soluções alternativas para que o casal tenha tudo o que sonhou, mas dentro dos limites de budget que estipularam.
Com ele serão definidas as prioridades, as alocações de valores aos serviços a que os noivos dão mais importância e aos que fazem mais sentido no dia e para cada momento.
Acresce ainda a capacidade de negociar junto de parceiros e fornecedores que os/as Wedding planner possuem, conseguindo por vezes descontos, mais valias, ou preços especiais para determinados serviços que no final reflectem-se no budget do casal.
No meu caso, acresce que todos os descontos e mais valias que tenho de alguns parceiros e fornecedores são entregues aos noivos e aplicados no seu budget que muitas das vezes faz com que o serviço de Planning acabe por “se pagar a ele próprio” com todas estas mais valias negociais.

Poupar tempo
O casamento pode ser extremamente devastador em termos de tempo para casais ocupados. O/a wedding planner irá ajudá-los a encontrar os melhores fornecedores de acordo com os pedidos do casal. Filtrar o mercado apresentando somente as melhores opções, permite aos noivos ganharem tempo que podem direccionar para passarem momentos a dois. Um/a bom Wedding Planner vai assumir a sua lista de tarefas tornando-a mais eficaz e menos geradora de stress.

Decisões conscientes
Com base na vasta experiência de um/a Wedidng Planner este tem de ajudar o casal a tomar
as melhores decisões nos momentos decisivos de forma consciente e adaptadas ao conceito que criaram e ao budget que estipularam. O casamento é um processo pleno de emoção e stress e, por vezes, os noivos tendem a tomar decisões um pouco precipitadas e por instinto do momento. Um Wedding Planner irá juntar essa emoção a uma racionalidade que a experiência e conhecimento lhe dão, permitindo aos noivos as decisões mais acertadas e conscientes em todos os momentos.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Pedro Bento Photography

Compreendem e interpretam a visão do casal
Uma das características mais vincadas de um/a Wedding Planner é saber ouvir o que o casal quer e garantir que isso aconteça nos termos mais realistas. Se é algo que não pode ser feito, ele/a pode ajudar a transformar a ideia em algo diferente, mas que possa realmente funcionar.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Pedro Bento Photography

Paz de espírito
Garantir que as coisas sejam feitas atempadamente, sem complicações e com o objectivo maior de que tudo seja perfeito. São uma espécie de solucionadores de problemas.
Saber que existe um especialista a coordenar o grande dia vai permitir ao casal que desfrute de todos os momentos do dia e estarem relaxados no dia do casamento. Poder aproveitar o dia na sua plenitude sem qualquer preocupação é o sonho de qualquer casal. Isso só se torna possível existindo alguém que conheça todo o processo, que tenha acompanhado todas as decisões e que conheça todos os fornecedores e contratos, assim como todos os detalhes do casamento.

O/a Wedding Planner será a pessoa que mais saberá sobre o casamento e a sua presença ditará uma paz de espírito aos noivos que lhes permitirá viver o dia o mais intensamente possível com a família e os convidados.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Nuno Palha

6. De vez em quando, surgem pessoas sem qualificação a intitularem-se como
wedding planner. Que conselhos pode dar aos noivos, para perceberem se estão perante um profissional, ou um amador habilidoso?
R: Este é um assunto imensamente debatido e penso que, no fundo, não existirá nunca uma solução definitiva.
Não só nesta área, mas como em todas as áreas profissionais, irão existir sempre aqueles que se aproveitam do mercado para, sem qualquer conhecimento ou especialização, ganharem
dinheiro com base nas emoções e na emotividade da escolha de alguém.

O que os casais se devem preocupar é em perceber, efectivamente, se está a lidar com um profissional ou não, quais as mais valias que esse profissional lhes traz , o grau de experiência, know-how e dedicação que irão ter na contratação desse profissional.
Por isso, aconselho sempre a pesquisarem com calma toda a informação desse profissional e a não terem receio de perguntar ao mesmo informações sobre quem ele é, de onde veio, qual a sua experiência e formação, quais as mais valias que vai oferecer, se vai estar sempre presente a acompanhar o casal, se tem seguros, se está ligado a alguma entidade que possa dar alguma garantia do seu trabalho. Tudo isto será importante para perceberem, de facto, quem é a pessoa que está na frente deles a ser contratada.
Um verdadeiro profissional não terá problemas em responder a isso. Os casais preocupam-se mais em perguntar o valor, sem perceberem que esse será um detalhe. Porque o valor verdadeiro de um serviço tem de ser avaliado numa vertente de custo/beneficio/experiência. Porque o real valor de um amador o casal só irá, infelizmente, perceber se o contratar e aí será mais uma vez infelizmente, tarde demais.

O meu conselho é que nunca excluam um profissional pelo valor que pensam que ele irá cobrar. Confirmem que é um profissional especializado e reúnam com ele/a para o/a ouvir e perceber, de facto, o que de positivo e de mais valia irá oferecer e se de facto, o valor que pensavam ser alto não é efectivamente o melhor investimento que algum dia podem fazer para o vosso dia.

Ao inverso, nunca escolham um profissional só na base do valor ou das fotos que vem na
internet. Garantam que os trabalhos que estão a ver são, efectivamente, do profissional e que são efectivamente casamentos reais e não sessões editoriais para fingir trabalhos que nunca se fizeram.
Tal como eu, quantos colegas meus já se depararam com fotos nossas a serem usadas por outras pessoas a denominarem-se Wedding planners e cujas fotos são ou de outros profissionais ou de sessões editoriais e que, no final do dia, nunca fizeram um casamento na
vida.
Peçam um portfólio de casamentos reais e não fotos estilizadas ou de sessões editoriais. O portfólio de casamentos reais é o trabalho real que o profissional fez e dará uma percepção real para o casal do que é o valor desse profissional.

Os casais devem também pensar quando os preços são muito baixos. Planear um casamento leva muito tempo, muito conhecimento, exige uma equipa de staff no dia com número de assistentes suficiente para coordenar todos os momentos e detalhes e um verdadeiro profissional vai pedir um preço justo pelos seus serviços. Se os preços forem muito baixos em comparação a todos os outros profissionais, o casal deve, pelo menos, perguntar porquê.

Por isso aconselho sempre aos casais Perguntem! Questionem! Pesquisem! e tenham sempre em mente a avaliação custo/beneficio.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by NJMattos Photography

7. Qual a sua resposta às primeiras grandes dúvidas das noivas:
“Fiquei noiva e agora por onde começo? O que tratar primeiro?”
“Com que antecedência devo começar a organizar o casamento?”
R: É sempre uma questão difícil de responder porque, emocionalmente, cada um de nós reage de forma distinta e damos importância a factores diferenciados.
Mas para começar daria 2 conselhos:
O primeiro antes de se preocupar com o casamento aproveitem bem o momento. Emocionalmente vivam-no a 2. Tirem 1 ou 2 dias para, juntos, celebrarem esse momento. Isso irá criar uma conectividade e uma proximidade muito importante para o longo processo que aí vem.
Aproveitem para, sem mais nada do que o vosso amor e a vossa proximidade como casal, pensarem o que gostariam de viver no dia. Sem internet, sem Pinterest ou Instagram. Pensem como casal. Viver este momento de forma emocional e íntima é muito importante para que possam estar unidos e em sintonia para criarem o vosso casamento.

O segundo conselho é, obviamente, contratem um Wedding Planner. As mais valias são enormes e é quase impossível definir o real valor que um profissional vos pode oferecer.
Façam-no antes de escolherem qualquer outra coisa. O Wedding planner deve ser a vossa primeira contratação porque ele será o profissional que mais próximo de vocês estará, que mais conhecimento do casamento terá e que vos pode ajudar a conhecer outras realidades, outras opções e encaminhar-vos para serviços de melhor qualidade a melhores preços e, mais que tudo, que melhor se adaptam ao vosso dia.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Pedro Bento Photography

8. Se um casal lhe pede um casamento de sonho, quais são os seus conselhos?
R: O meu conselho a um casal que me peça um casamento de sonho é um só e muito simples: confiem em mim e dêem-me liberdade criativa! E terão um casamento de sonho!
Libertem-se de amarras de informação/inspiração pré feitas que viram na internet. Tenham como base a história de amor que os une.
E assumam que não existem coisas perfeitas. Tal como o amor é imperfeito (e é isso também que o torna tão belo) tudo tem o seu grau de imperfeição. A busca ou a ideia que tudo será perfeito é o primeiro passo para que não se vivam dias de sonho.
A criação de algo único, exclusivo e de sonho não significa algo perfeito, mas sim algo fantástico, algo que supera as expectativas, algo que leva o casal a dizer “não mudaria nada, nem um segundo deste dia”.
Quando algum profissional vender um dia perfeito não tem a noção do que está a fazer. A perfeição não existe e ainda bem. É essa falta de perfeição que nos leva diariamente a querer fazer melhor, a procurar mais e mais. E um profissional que afirme que faz coisas perfeitas jamais se preocupa, jamais se dedica ou jamais tem motivação. Simplesmente replica o que ele acha que é perfeito.
Um casamento de sonho é mais que tudo uma vivência de momentos e emoções únicas. É na capacidade de gerar esses momentos, de criar essas emoções, de tornar tudo inesquecível, de criar vivências que serão transportadas no tempo pelos convidados, é essa capacidade que faz a diferença entre os profissionais.
Criar um casamento de sonho não é só criar tudo o que o casal pediu. É sim criar isso e exceder as expectativas, criar ainda mais, transformar esse sonho do casal em algo único, em algo que perdure no tempo e na memória.
No fundo criar algo que supera o casamento de sonho. E, neste ponto, entra a capacidade criativa, a identidade, a narrativa que só alguns casamentos conseguem ter pela sua singularidade, pela sua história e pela sua criatividade.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Pedro Bento Photography

9. Quais os aspectos a ter em conta para a organização perfeita de um casamento? E qual o erro mais frequente que se deve evitar ao organizar o casamento?
R: A perfeição não existe. E se alguém algum dia vender “o casamento ou a organização perfeita” está, literalmente, a mentir. Não tenho qualquer problema em assumir isto. Não existe perfeição. E ainda bem! A paixão é imperfeita, o amor é imperfeito e é exactamente essa imperfeição que dá beleza às coisas.
Existem sempre no processo de casamento algumas coisas que não correm de forma perfeita. Existem percalços, existem alterações, existem novas tendências, existem alterações climatéricas. Existem uma enormidade de factores que nem sempre dependem de nós que podem “abalar” a organização de um casamento.
É por isso que se torna tão importante os casais contratarem um/a wedding planner experiente e devidamente especializado/a. Porque só ele/a saberá resolver esses percalços e, no final, entregar um dia inesquecível e um casamento de sonho.
Penso que o erro a evitar é, de facto, a contratação de amadores. Os casais que por vezes optam por serviços de amadores porque são mais baratos, acabam por saber tarde demais o verdadeiro preço que essas pessoas lhes custarão.
Evitem o erro de não perguntarem e de não questionarem a pessoa que estão prestes a contratar – perguntem de onde vem, qual a sua experiência, o seu curriculum, o que o/a faz diferente, quais as mais valias efectivas que traz ao processo de organização.
Muitas vezes os noivos decidem pelo mais barato e no final acabam sozinhos no dia, porque a pessoa que supostamente deveria coordenar tudo se vai embora a meio do casamento.
Mas pensar que será perfeito é o maior erro. No dia em que em algum momento pensar que fiz o casamento perfeito a minha carreira acaba, porque deixo de ter motivação para melhorar todos os dias, deixo de procurar essa perfeição mesmo sabendo que ela não existe.
O maior erro do casal é pensar que terá o dia perfeito ou o casamento perfeito.
O que digo sempre aos meus casais é que terão um dia de sonho, um dia incrível, um dia inesquecível e que será muito melhor do que eles esperam ou pediram. Algo que nunca chegaram sequer a pensar ser possível.

Mas nunca que será perfeito. Nada o é!

10. Como definiria um casamento de luxo?
R: Outra palavra que não gosto na vertente em que muitos a associam e que hoje em dia muitos profissionais tendem a usar como se fosse algo que transformasse um casamento em algo melhor.
Comecemos por perguntar o que é luxo? O luxo é igual de pessoa para pessoa? O luxo tem a ver com bens materiais e monetários? Ou tem a ver com exclusividade, com as vivências únicas e com as emoções?
Temos várias profissionais em Portugal que identificam o seu mercado como mercado de luxo. Confesso que nunca entendi porquê ou o que isso traz de tão benéfico.  Considero que todos os casamentos que faço são de alguma forma casamentos de luxo. Porque representam para aquele casal a forma de luxo que os identifica.
Se considerarmos casamentos de luxo somente pelo valor investido, terei feito talvez dos mais luxuosos em Portugal. Mas isso não fez deles casamentos melhores ou piores. Faz simplesmente casamentos diferentes com especificidades próprias. A questão que se coloca é se olhar simplesmente para a questão do Luxo como ela é vista hoje em dia, se isso transforma o casamento em algo melhor. Digo, frontalmente, que não. Porque existindo dinheiro tudo é possível logo, se não existir criatividade, concepção, diferença, os casamentos tornam se todos iguais, sejam eles de luxo ou não. E aí o luxo torna-se banal.
Vê-se isso hoje em dia em Portugal. Casamentos perfeitamente banais, rotulados de Luxo só porque os noivos investiram muito. A questão é que investiram mal porque quem os planeou limitou-se a aplicar o dinheiro em ideias pré fabricadas e em formatos pré feitos. Se isso é um casamento de luxo, honestamente, prefiro não os fazer.
Talvez luxo seja um casal ter um casamento único, irrepetível, conceptualizado em exclusivo para ele, com um nome e um conceito que jamais será replicado. E que no final é reconhecido internacionalmente frente a frente com esses “pretensos casamentos de luxo”.
Se me perguntar o que define um casamento de luxo eu diria a exclusividade! Mais do que tudo a exclusividade. O resto, usando uma expressão muito Portuguesa, “é fogo de vista” e que serve especialmente para os incapazes se promoverem como bons profissionais.
Deixo um desafio: retirem os elevados budgets a esses profissionais e desafiem-nos a fazerem casamentos de sonho! Porque isso é que é verdadeiramente luxo: conseguirmos algo único e exclusivo. Algo que mais ninguém tem nem pode ter! Algo que alguém criou propositadamente e em exclusivo para nós. E que sabemos que, independentemente do que o próximo casal possa ou queira pagar, não terá igual.

Exclusividade! Luxo é exclusividade!

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Pedro Bento Photography

11. Para que famosa gostaria de organizar o casamento?
R: Não tenho essa pretensão e nem entendo o porquê da fixação de alguns em querer fazer casamentos para famosos só porque são famosos. Felizmente nunca precisei do nome dos outros para atingir o sucesso que já atingi.
Quero, mais do que tudo, contar grandes histórias de amor. Sejam elas de quem forem.
Famosos, não famosos, pouco me importa. Já fiz casamentos de famosos, de realeza, de empresários, políticos, mas sempre porque as suas histórias de amor faziam sentido. E as histórias de amor de todos os outros casais foram tão ou mais interessantes.
Um casamento não se faz dos nomes dos noivos, mas sim das suas raízes e da sua história de amor.
Ter uma carreira assente nos casamentos de famosos acaba por ser algo muito limitado e sem qualquer identidade ou valor. Ao invés, ter uma carreira assente na qualidade e originalidade do trabalho leva a que tudo tenha mais sentido. Talvez esse seja também um dos segredos do meu sucesso. Acreditar no que faço da forma que faço, e acreditar que um casamento é tanto melhor quanto a história de amor que está por detrás dele e pela forma como a contamos e não pelos nomes dos casais que vivem essa história.
Resumindo, não tenho pretensão de organizar o casamento a nenhum famoso em especial, até porque isso levar-nos-ia à eterna questão de quem é famoso?
Se me perguntasse que histórias de amor famosas gostaria de contar ou ter contado aí a resposta já seria totalmente diferente. Porque, mais do que tudo, conto histórias de amor. Não vendo casamentos, nem faço casamentos por atacado ou por que são famosos.
Crio casamentos, conto histórias de amor. Sejam de quem forem.

12. Pode revelar-nos qual o segredo do seu enorme sucesso?
R: Muito trabalho, criatividade e muita paixão pelo que faço. Penso que estes são os factores essenciais. Tudo isto aliado a uma identidade muito própria, a uma construção de uma marca pessoal, muito ligada a quem sou, e à forma como idealizo um casamento.
E um acreditar enorme no que faço, em quem sou e na qualidade do meu trabalho. Não acredito em falsa modéstia. Penso até que falta em Portugal algum acreditar na nossa qualidade como profissionais. Essa crença que sempre tive em mim ajudou-me, de facto, a crescer e a “atirar-me” de cabeça para me comparar com alguns dos melhores internacionalmente, e a querer fazer sempre mais e melhor do que fiz no dia anterior.
Penso que o sucesso é mais do que tudo um retorno de tudo o que me dediquei, de todo o esforço que fiz, de todo o trabalho que construí e de uma forma muito única de ser apaixonado pelo que faço.
Não sei, honestamente, se existirá um segredo.
Acredito que se juntarmos os ingredientes certos o sucesso acaba por chegar – trabalho, dedicação, paixão pelo que fazemos, excelência no trabalho que fazemos, criatividade, identidade própria, exclusividade, não preocupação com competição ou com o que o colega do lado anda a fazer, foco, ética, respeito e transparência. Se tiver que pensar “num segredo” penso ser este – a forma como estamos no mercado. Seguir estes princípios é a base para o sucesso.

13. Que tipo de pack de serviços tem para oferecer aos noivos? Quem quiser contratá-lo deve fazê-lo com quanto tempo de antecedência?
R: Não trabalho com packs. Nem sequer acredito que um casamento possa ser “vendido por pack”. Confesso até alguma confusão e estranheza em como alguns casais compram esses packs e alguns profissionais os vendem como se tratasse de uma “ida ao supermercado”. Pelo menos quando falamos de casamentos “normais”. Logicamente em projectos como o PopUpWeddings em que o formato e focus do projecto é totalmente diferente faz sentido essa noção de pack. E mesmo nesse projecto é um pack de serviços incluído e não um pack de casamento. Ou seja, mesmo aí é possível construir tudo e escolher tudo de raíz.

Mas para um casamento dito “normal” não tem qualquer lógica.
Tenho um fee para o serviço de planeamento global do casamento. Só funciono com planeamento global.
O casal contrata-me e começamos a construir o casamento de raiz. Tendo em conta a sua história, as conversas que já tivemos, as ideias que trocámos e, com isso, crio o conceito.
Depois, tendo em conta o budget, o casamento começa a ser construído.
Costumo dizer que não sou vendedor de nada. Sou criador de casamentos. E não é possível criar-se algo único e pensado em exclusivo para cada casal se se venderem packs de casamento.
Mais do que tudo um casamento deve ser único e não algo comprado antecipadamente em pack num formato fechado e previamente pensado, sem nunca se ter falado com os noivos.
Não acredito que essa seja a forma de se criar algo único e especial.
Só aceito um máximo de 10 a 12 casamentos por ano. Como tal, os casais procuram-me com bastante antecedência, porque sabem que, por norma, tenho a agenda completa para cada ano 12 a 18 meses antes. Por isso, por norma os casais procuram me entre 12 a 24 meses antes do casamento para que possam garantir que estou disponível.
Este é um pouco o “preço” de termos algo exclusivo, de termos um casamento verdadeiramente único e pensado cuidadosamente e em exclusivo para cada casal e de termos determinados profissionais para nos acompanharem. Este é o preço de garantirem terem ao seu lado um profissional com a experiência, a qualidade e o reconhecimento que ofereço e que mais ninguém em Portugal pode oferecer.
Estou sempre presente em todos os momentos, em todas as reuniões, em todas as provas, sempre acompanhando o casal em todos os preparativos. No próprio dia, estou desde o primeiro ao último momento por forma a garantir que tudo é feito tal como criei em conjunto com o casal.
Esse é o meu compromisso com os noivos. É também isso que eles procuram.
Efectivamente, um Wedding Planner e não somente um serviço de organização. Por isso mesmo não faria sentido vender packs de casamento.
Porque sou Wedding Planner e não somente uma empresa a vender casamentos.

14. E porque neste blog se fala de sonhos, qual o seu maior “sonho” profissional a longo prazo?
R: Neste momento existem 3 sonhos profissionais que estão em fase de concretização e que serão, de facto, o de viver melhor comigo mesmo enquanto pessoa e profissional, o
segundo o atingir de 1 grande meta na carreira e, finalmente, outro que representa um culminar de uma carreira criativa com algo único.
O primeiro e o mais importante de toda a minha carreira, trazer para Portugal o projecto
Two + Us da Comunidade Internacional de Wedding planners Belief. O Two + Us é um projecto de apoio social, de impacto nas comunidades que tem como objectivo possibilitar a concretização da realização do sonho de casar a casais desfavorecidos que, por alguma razão na vida, não podem realizar esse sonho.
O projecto assenta na solidariedade dos profissionais e da comunidade para que, em conjunto, se consiga realizar o sonho aos casais.
Algo que nasceu em 2017. Tive já a possibilidade de participar em 2 casamentos deste projecto, o primeiro em 2017 no México e este ano em Itália, e o objectivo é já em 2019 termos o primeiro em Portugal. Irá acontecer no próximo dia 19 de Abril e deixo desde já um desafio a todos os leitores para se juntarem a esta iniciativa e projecto. Através do meu site http://www.ruimotapinto.com tem um link “twoplusus” que podem seguir e inscrever-se como voluntários, patrocinadores ou como acharem que faz sentido fazerem parte desta onda de solidariedade.
Este é, sem dúvida alguma, o projecto mais importante, mais emocionante e mais apaixonante em que alguma vez estive inserido.
Ser o embaixador em Portugal deste projecto é algo que me deixa tremendamente honrado e feliz. E o retorno que tenho tido de diversos parceiros e fornecedores tem sido incrível e estou certo que juntos iremos contribuir para que o mundo seja um pouco melhor.
Outro objectivo/sonho é a abertura de uma entidade de certificação em Portugal. O projecto está já a ser desenvolvido, o Portuguese Wedding Ambassadors (PWA) e tem lançamento para muito breve, mas a ideia é tentar aglutinar o máximo de profissionais possíveis. A ideia é fazer algo global para o nosso país, sem a questão de competição ou concorrência. Mas sim algo que seja uma espécie de “farol” de guia, de princípio de construção de um mercado global mais ético e mais especializado. Algo onde o objectivo é certificar, mas também formar, apoiar, partilhar e contribuir para que cada vez mais tenhamos um mercado de excelência.
Infelizmente, nem sempre temos todos os profissionais a pensar desta forma, com a partilha e o contributo por uma causa maior como principal objectivo e acabamos por nos deparar com roubo de ideias, entraves e críticas de quem nada fez de útil pelo mercado, mas também não quer que os outros façam. Mas acredito que estamos a mudar e o que quero é que esta seja também a forma de ajudar a que isso aconteça e a que sejamos cada vez mais uma indústria unida com objectivos claros e partilhados com vista a crescermos juntos e a sermos cada vez mais fortes como um todo.
Mas este sonho é algo que por certo verá a luz do dia durante o ano de 2019.
Finalmente, o outro, um sonho que não posso ainda divulgar. Mas que brevemente começará a ver a luz do dia. Algo totalmente imprevisto, e que penso fugir ao que todos esperariam que fosse o meu caminho futuro.

rui-foto-e-logo Entrevista ao Wedding Tailor & Planner Rui Mota Pinto
Foto by Lucho Vargas Fotografia

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *